Home
Quem sou eu?
A dona barata
O fantasma...
A peq grande
J. e a origem
J. e as palavras
Sofia e a joan...
Fadas sem asas
Quem descobriu
Premiações
Críticas
Fotos/eventos
Outros Contos
Dicas 1º Livro
Curiosidades
Pág. Restrita
Fale conosco




Além de voar, falar e contar muitas histórias, a dona Barata diz que tem superpoderes e que é resistente à radiação e a todo tipo de inseticida, que pode adivinhar quando alguém está com medo e até mesmo ficar invisível, o que deixou Joãozinho em dúvida: - teria mesmo os tais superpoderes? Ou estaria apenas tentando enganá-lo para que ele não lhe desse uma chinelada? Descubra lendo este livro.

Nessa história, o menino Joãozinho conta como teve que encarar uma barata que dizia ter superpoderes conseguidos após escapar de uma grande guerra e ficar exposta à radiação de uma bomba atômica. Joãozinho desconfiava que tudo não passava de uma mentira inventada pela barata para que ele não cumprisse a missão estabelecida por sua mãe: dar uma chinelada na barata. As artimanhas utilizadas pela dona Barata para tentar enganar Joãozinho fazem com que ele se defronte com a necessidade de demonstrar coragem, perseverança e auto-estima. As novas situações com que se depara refletem a importância de se manter atualizado, estudar, conhecer a história e os fatos importantes, usar sua capacidade de raciocínio. Servem como experiência de vida.


Trecho:(...) Nem liguei para a tal da história de resistência à radiação (eu nem sabia o que era isso), mas quanto a identificar o medo dos outros, na hora achei muito estranho. Como é que essa barata sabia disso? Só por que as minhas pernas tremiam e porque eu mal conseguia segurar a chinela? Ou será porque eu mantinha uma certa distância dela? O fato é que não mentia de todo, eu realmente estava com um pouco de medo, afinal era a primeira vez que tentava dar uma chinelada num bicho. Tinha que ser logo numa barata? Por que não poderia ter sido no cachorrinho da vovó, que morre de medo de mim só porque eu lhe mordo o rabo. Ou por que será que não podia ser no gato da mamãe (era capaz até de nem miar, aquele bicho preguiçoso). Mas não, tinha que ser na barata. E logo essa que parecia tão esperta. Vai que tem mesmo esses benditos superpoderes...
Não vê essa imagem? Então clique aqui com botão direito do mouse e depois em Mostrar Imagem.




Veja algumas páginas do livro, disponibilizadas pela Editora, clicando na figura abaixo





Lançamento da coleção infantojuvenil da Cepe Editora
     
      A festa, que incluiu o lançamento do livro `A dona Barata (diz que) foi à guerra`, aconteceu dia 12 de outubro de 2011, Dia das Crianças, no Parque da Jaqueira (Recife/PE), com sessão de autógrafos, brincadeiras,  apresentação de palhaços, mamulengo, ciranda e a orquestra do maestro Forró.
Veja ao lado o panfleto de divulgação da festa.

Não vê essa imagem? Então clique aqui com botão direito do mouse e depois em Mostrar Imagem.


Atualmente o livro também está disponível por meio da Livraria Cultura e pode ser acessado no site www.livrariacultura.com.br, ou diretamente no link de compra abaixo:





 
Leia algumas publicações na mídia sobre o evento

Formação de leitores e pequenos cidadãos

Cepe lança coleção infantojuvenil na Jaqueira

Conheça os nove livros do catálogo infantojuvenil da Cepe

Cepe revela novos escritores




CADASTRO DO ISBN

 

ISBN: 978-85-7858-076-6

TÍTULO: A dona barata (diz que) foi à guerra

AUTOR: Francisco Hélio de Souza

EDIÇÃO: 1

ANO DE EDIÇÃO: 2011

LOCAL DE EDIÇÃO: RECIFE

TIPO DE SUPORTE: PAPEL

PÁGINAS: 25

EDITORA: CEPE EDITORA


Não vê essa imagem? Então clique aqui com botão direito do mouse e depois em Mostrar Imagem.

Site sempre em fase de construção - críticas/sugestões: fhelios@gmail.com

Site pronto: NetFacilita